quarta-feira, 17 de novembro de 2010

... MAIS DE 10 ANOS.




.
.
.
Parece-me tão fácil falar de amor e de amores.
Difícil mesmo é falar de amizade.
Falar das pessoas que nos aceitam como somos.
Que nos respeitam.
E que principalmente nos amam.
Às vezes penso na proporção que uma pessoa tem na minha vida. Do tamanho do espaço que ela ocupa.
Penso no que ela representa pra mim. No que representa pro resto do mundo.
Nessas poucas amizades sinceras que tenho, penso em uma especial que me acompanha há tantos anos.
Talvez falar dessa pessoa resume um pouco falar de todas as outras.
Porque a base de todas as minhas amizades é sempre a mesma.
Poder ser eu mesma em qualquer situação, livre de qualquer julgamento e de qualquer fato que possa me deixar constrangida.
Em uma amizade sincera a gente pode se fazer de louca, de santa, de séria, de tagarela que sempre o outro irá nos entender e nos reconhecer.
Pra mim ela é assim.
No português claro e rápido: 'pau pra toda obra'.
E amizade boa é essa. Saber que podemos ter o outro na nossa vida para tudo. Do bom ao ruim.
Dos melhores passeios a talvez aos programas de índio. Ou quem sabe mais, ter alguém que mesmo muito longe sempre se faz presente.
Ela é assim, séria e ao mesmo tempo extrovertida. Simples e ao mesmo tempo complexa. Displicente e ao mesmo tempo concentrada.
Consegue arrancar confissões minhas que talvez nem eu mesma falaria pra mim.
Consegue me fazer falar sobre sexo como quem fala sobre roupas.
Consegue me arrancar de pijama de casa para sair num sábado a noite.
E tantas outras coisas.
Simples. Dê tudo ao outro, mas se você quer mesmo um amigo: dê intimidade para ele.
Deixe ele te conhecer de verdade. E isso leva tempo. Talvez anos.
Mas a partir do momento que ele te entender com o olhar, você pode saber que tem de verdade um amigo.
E eu tenho. Uma grande amiga. Uma pessoa que eu posso falar do que eu quiser. Posso chorar e rir ao mesmo tempo.
Posso estar de mal humor perto. Posso não querer nem prosear naquele dia. Que ela vai me entender.
Hoje aqui escrevendo. Pensando. Agradecendo. Ela representa as outras amizades sinceras que tenho.
Tantos outros nomes importantes pra mim.
Tantos corações que me preenchem.
Que me entendem.
Que eu adoro.
São mais de 10 anos, o que pra mim é quase a metade da vida. E que venham mais 10 e mais 10 e mais 10.
Que venha novas amizades. Que venha novas histórias.
Mas que uma coisa sempre permaneça.
O respeito e carinho que existe entre nós.
Para minha amiga Thaís eu escrevo: muito obrigada por TUDO.

5 comentários:

  1. E mais uma vez eu fico sem palavras!! Só uma coisa vale dizer.. Te amo poia!

    ResponderExcluir
  2. Amigos que são amigos, são além do tempo.

    ResponderExcluir
  3. Silêncios Doloridos18 de novembro de 2010 19:11

    Mas o que é a amizade senão um grande amor?! Outro tipo de amor, diferente do afetivo, carnal etc, mas igualmente essencial ;)

    Um beijo :D

    ResponderExcluir
  4. Oi Iara,
    Obrigada pelo carinho,
    Se quiser pode sim
    colocar meu cantinho por aqui!
    Fico muito feliz!

    Gostei muito
    do que vi por aqui,
    parabéns pelo blog!

    O que seria de nós
    sem os amigos?!
    Sempre levei minhas
    amizades com muita sinceridade
    e carinho!
    Aliás muitas vezes são
    os amigos que nos socorrem
    momentos ruins!

    Estou te seguindo
    e voltarei mais vezes!

    Beijos Querida!

    ResponderExcluir
  5. Rs,legal! Eu gosto
    muito dessa música
    e ela é linda!

    ResponderExcluir